‘Dou risada das críticas. Só não gosto de mentiras’, disse o âncora do ‘Primeiro Impacto’

Dudu Camargo, âncora do “Primeiro Impacto”, no SBT, conversou com a revista “Veja São Paulo” e falou sobre sua sexualidade, após um vídeo dando um selinho em um rapaz vazar em novembro do ano passado. Em entrevista, o empregado de Silvio Santos, empresário que criou um museu para eternizar sua obra, alegou não ter preconceito e que nunca teve um relacionamento sério. “Usaram isso para inventar histórias. Quando morava em Minas, era conhecido por dar selinhos em minhas reportagens de TV”, explicou sobre as imagens. Ele também entregou já ter recebido cantadas e nudes nas redes sociais, mas que sua paixão no momento é dedicação total ao trabalho.

‘Não precisa de diploma para fazer programa’, disse Dudu, que não é formado em jornalismo

Há quem diga que Dudu seja o menino prodígio do dono do milhão, que causou polêmica no Troféu Imprensa, já que não é formado em jornalismo. Logo que ingressou na TV, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado divulgou um comunicado alegando que o SBT usava o jornalismo como uma “atividade marginal” e que isso era “um ataque à qualidade da informação”. “Não acho que precise de um diploma para fazer o programa”, desdenha. “Hoje, dou risada das críticas. Só não gosto de mentiras”, rebateu o jovem, que pretende fazer faculdade de jornalismo no futuro.

‘Se me derem um programa de auditório, acho que poderá dar certo’, avaliou

No “Primeiro Impacto”, o amigo de mara maravilha superou as âncoras Joyce Ribeiro e Patricia Rocha, na emissora desde 2005 e 2010, que foram demitidas. “Assumi o posto em 12 de outubro e, por ser jovem, muita gente achou que se tratava de uma brincadeira relacionada ao Dia das Crianças”, lembrou ele, que fez o “homem do saco”, no programa “Fofocalizando”. No noticiário, Dudu apareceu com rosto coberto por um papel e falando sobre celebridades ao lado de Leão Lobo e o colunista Leo Dias, que pensa em retirar processo contra o ator André Gonçalves após pedido de desculpas em vídeo na web. “Se me derem um programa de auditório, acho que também poderá dar certo”, avaliou. 

(Por Rahabe Barros)

DEIXE SEU COMENTÁRIO