A Ordem dos Psicólogos abriu um inquérito contra a Presidente da Associação dos Psicólogos Maria José Vilaça, depois ter dito que um filho homossexual “é como ter um filho toxicodependente”.

“Eu aceito o meu filho e amo,  porque sei que ele vive de uma forma que eu sei que não é natural e que o faz sofrer. É como ter um filho toxicodependente, não vou dizer que é bom”, sustentou a psicóloga, quando questionada sobre: ‘Dicas para os pais’.

Segundo Maria José Vilaça, uma família pode aceitar o filho sem aceitar a homossexualidade do mesmo, embora para isso seja preciso “tentar não ser influenciado do ponto de vista sentimental, moral e ideológico”.

Face à polémica, Maria José Vilaça já escreveu um texto no Facebook: “O que disse é que perante um filho que tem um comportamento com o qual os pais não concordam, devem na mesma acolhê-lo e amá-lo. A toxicodependência é apenas exemplo de comportamento que por vezes leva os pais a rejeitar o filho. Não é uma comparação sobre a homossexualidade mas sobre a atitude diante dela”.

to·xi·co·de·pen·dên·ci·a
(tóxico + dependência)

substantivo feminino

Dependência, física ou psicológica, de substâncias tóxicas ou de drogas.
“toxicodependência”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

 

psicologa-filho-gay-dependente

DEIXE SEU COMENTÁRIO