Novembro mal chega e a internet já está cheia de banners anunciando a Black Friday — data importada dos Estados Unidos que acontece no Brasil desde 2010. Segundo números dos organizadores do evento no País, R$ 1,5 bilhões foram movimentados em 2015, um aumento de 76% em relação a 2014. Ele acontece na última sexta-feira do mês e, na segunda-feira seguinte, acontece a Cyber Monday, voltada especialmente para descontos em e-commerces.

Essa enxurrada de promoções é suficiente para tirar muita gente do eixo e, se você não tomar cuidado, pode acabar comprando algo que nem precisa ou ser enganado e levar um produto com desconto falso. Você não quer ser vítima dessas roubadas, certo? Então, fique de olho nessas dicas e fuja das fraudes!

  1. Analise seu orçamento. Você pode estar querendo muito um produto, mas precisará avaliar se o seu bolso comporta essa compra neste momento. Pare e reflita se você realmente precisa daquilo e se você terá como bancar a compra. Resposta negativa? Então, segure o cartão de crédito!
  2. Tenha foco. São tantas ofertas acontecendo ao mesmo tempo que é uma verdadeira tentação não colocar tudo no carrinho. Não faça isso. Visite os estabelecimentos e comércios online com um foco. Se você precisa de um celular, evite ir ao setor de roupas “só para dar uma olhadinha”.
  3. Cuidado com os descontos falsos. É comum que as empresas inflem os preços dias antes da data. Assim, ao chegar na sexta-feira, elas apenas voltam os valores para o estágio original para simular um desconto. É o famoso “tudo pela metade do dobro”. “Essa prática é chamada maquiagem de preços, pode ser considerada publicidade enganosa e o estabelecimento que a adotar pode ser penalizado”, explica Christian Printes, advogado do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). De acordo com o Procon, 28,3% das reclamações registradas na Black Friday do ano passado dizem respeito a esse problema. Para se proteger, o Idec recomenda que se pesquise o preço do produto em, pelo menos, três lugares diferentes, duas semanas antes da data.
  4. Não confie em tudo que vê. Nem todos os estabelecimentos são tão confiáveis quanto parecem. Confira a reputação das lojas em sites como o Reclame Aqui, que costuma fazer um ranking as campeãs em reclamações. Vale ver a lista do ano passado para se precaver. Você também pode conferir os comentários nas redes sociais das lojas.
  5. Fique calmo. Os e-commerces costumam deixar um cronômetro em letras garrafais em sua página inicial justamente para despertar em você um senso de urgência, como se não fosse existir outra oportunidade para conseguir preços tão bons. No entanto, sabemos que isso não é verdade. A Black Friday e a Cyber Monday duram apenas um dia cada, mas não deixe de levar em consideração que o mês de janeiro está chegando e o comércio tende a reduzir significativamente os preços, em uma tentativa de desovar aquilo que não foi vendido no Natal.

Se você se sentir lesado de qualquer maneira como consumidor, não hesite em procurar o Procon!

Foto: Divulgação

DEIXE SEU COMENTÁRIO