Da Redação

Em uma entrevista exclusiva à reportagem, o homem acusado de racismo e homofobia pelo estudante Lucas Gomes relatou sua versão. Segundo o suposto agressor, que prefere não se identificar, ele e sua namorada estavam chegando em uma unidade do McDonald’s em Santos, no litoral paulista, a pé, por volta de meia noite, quando Lucas, que estava dentro de um carro no drive thru do restaurante na companhia de mais quatro pessoas, começou a xingá-lo de “vagabundo” e “pilantra”.

A partir daí começou uma troca de xingamentos. Até então, o acusado disse não entender o motivo da discussão e que apenas revidou as ofensas. “Eu não lembro direito o que eu disse. Eu xinguei de volta e entrei”. O acusado disse que pediu o lanche e após um tempo foi ao banheiro. Quando voltou, sua namorada alertou que não era uma boa hora. Na ocasião, ele foi para fora da lanchonete e viu que Lucas, segundo conta, estava esperando-o no carro com um grupo de amigos. Lucas então teria começado a xingá-lo de “homofóbico” e “racista”.

O acusado foi até o carro onde o estudante estava e rebateu os xingamentos. “Eu falava: para de se vitimar. Não é nada disso”. A discussão passou para agressão física quando o acusado desferiu um soco em Lucas. “Ele me esperou sair e manipulou a situação. Eu tive uma reação”. Segundo conta,  ele empurrou a mulher que estava no grupo para que ela não saísse do carro, mas que em momento algum bateu, como contou Lucas em sua versão, ao dizer que sua amiga grávida havia sido agredida com um soco.

O grupo que acompanhava o estudante entrou na discussão, até que começaram a segurar e chutar o acusado. Ele disse que caiu no chão e então começaram a chutar sua cabeça, braço. Segundo conta, sua namorada, que estava junto, também acabou sendo agredida. “Eu acabei perdendo meu tênis e minha correntinha. Uma menina que estava com eles ainda pegou meu tênis. Minha namorada é que teve que buscar”. Após a discussão, o acusado voltou para o restaurante.

Caso de polícia – A polícia foi acionada e os envolvidos foram parar na delegacia. De acordo com o Boletim de Ocorrência (B.O.), registrado pela Delegacia Seccional de Santos, uma unidade de patrulhamento foi acionada após um chamado de agressão ocorrido no estacionamento do McDonald’s. Conforme o documento, o acusado disse que estava na fila do lanche quando foi provocado por Lucas, que ofendeu-o com palavras de baixo calão, dando início à discussão. No B.O., consta ainda que o acusado desferiu um soco em uma das portas do veículo que estava com Lucas. O documento informa ainda que nenhuma das partes soube dizer o motivo das agressões e que os envolvidos não se conheciam.

A natureza do boletim foi registrada como lesão corporal, injúria e dano ao patrimônio. O caso segue em investigação pela Polícia Civil.

McDonald’s – A assessoria responsável pela rede Mc’Donalds informou que está à disposição das autoridades que apuram o fato, caso entendam que a empresa possa contribuir.

foto-divulgação-facebook

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO