Uma vez que cada público tem a sua preferência e necessidade, não é de causar surpresa que alguns lugares sejam tidos como os melhores para atender a demanda de determinados viajantes. Os destinos gay-friendly, por exemplo, são cada vez mais procurados, visto que em muitos lugares as relações homossexuais ainda não são vistas de maneira natural, e haja locais que consideram o assunto como um tabu.

Confira, a seguir, os melhores destinos ao público LGBT do mundo:
SÃO FRANCISCO (EUA)
A visita a cidade é quase que unânime para intercambistas do público LGBT. Como se não bastasse a paisagem que encanta os turistas, bandeiras arco-íris enfeitam as janelas dos apartamentos em vários bairros da cidade. O bairro de Castro, aliás, é o reduto gay mais conhecido do mundo, com quase todos seus bares e lojas voltados para o público. Além disso, durante a semana do orgulho gay é realizada a Parada do Orgulho Gay, Lésbico, Bissexual e Transgênero (GLBT), que reúne cerca de meio milhão de pessoas. No mesmo mês, também ocorre o festival de cinema gay.
SIDNEY (AUSTRÁLIA)
Com praias deslumbrantes, e várias opções de bares, restaurantes, boates e pubs para todos os gostos e estilos espalhados pela cidade, Sidney é um dos destinos favoritos da comunidade LGBT. A cidade também é bastante popular por promover o maior carnaval gay do planeta, o Mardi Gras Austrália.
RIO DE JANEIRO (BRASIL)
Embora não seja tão popular como Sidney ou São Francisco, a verdade é que as praias cariocas são bastantes queridas pelo público LGBT – que chegou a ser eleita o melhor destino praia da América Latina neste ano. O Rio tem um grande número lojas, cinemas e baladas GLBT e a rua Farme de Amoedo, em Ipanema, é considerada um verdadeiro point da comunidade.
PUERTO VALLARTA, MÉXICO
Puerto Vallarta, no México, tem se tornado um destino gay-friendly nos últimos anos. Muitos hotéis, tours e cruzeiros na região estão voltados para o mercado homossexual. É possível encontrar amigos e amigas na cidade em muitos dos bares, boates de strip-tease e shows de drag queen.

BRIGHTON (INGLATERRA)

Quase um quarto da população local, aproximadamente 40 mil habitantes, é formada pela comunidade gay. A concentração de famílias homoafetivas na cidade, aliás, é considerada a maior de toda a Inglaterra.

PRAGA (REPÚBLICA TCHECA)

Em novembro, a capital da República Tcheca recebe um festival de filmes GLBT. No entanto, apesar da aceitação geral da cidade a casais do mesmo sexo, há uma cena gay segregada, e as demonstrações públicas de afeto não são aconselháveis.

AMSTERDÃ (HOLANDA)

Composta com aproximadamente 30% de sua população por gays e lésbicas, a cidade é conhecida como a capital LGBT na Europa. Amsterdã recebe também a única parada gay a ser realizada sobre a água, nos canais da cidade e o Dia da Rainha, no dia 30 de abril, ao redor do Homomonument, dedicado àqueles perseguidos pelo nazismo em razão de suas preferências sexuais, reúne o maior número de visitantes anualmente.

BERLIM (ALEMANHA)

Embora seja uma cidade descentralizada, e por isso não conte com um distrito gay, Berlim concentra um grande número de visitantes no início de junho, quando é realizado o Schwul-Lesbisches Strassenfest (Feira de Rua Gay e Lésbica, em tradução literal).

NOVA YORK (EUA)

Os bairros de Chelsea e Greenwich Village em Nova York são sinônimos de vida gay. Um bom número de baladas tranquilas e bares gay continua a nascer no centro de Chelsea. Todos os movimentos, sejam de arte ou de moda, são fortes em Nova York, e o movimento gay não é exceção. A parada gay, realizada em junho, foi a primeira desse tipo no mundo e atrai visitantes dos mais distantes locais à cidade.

BANCOQUE (TAILÂNDIA)

A cultura do país é aberta a homossexualidade e há na cidade um grande número de karaokês, hotéis, saunas e salões de massagem voltados para o público. O país chegou até mesmo a investir em marketing para o turismo gay, colocou a Tailândia entre “os principais destinos” de 2013, à frente dos Estados Unidos e da Argentina, que ficaram em segundo e terceiro lugar.

DEIXE SEU COMENTÁRIO