Na última sexta-feira (12), o atleta Caio Bonfim ficou em quarto lugar na marcha atlética masculina. Ele foi ovacionado pelo Brasil e espectadores da prova. Porém, será que essa conquista deve ser considerada do país ou tão somente de Bonfim?

Para quem não está lembrando, a marcha atlética é aquela modalidade em que o esportista tem que andar rápido, com os braços em 90 graus e, para muitos, rebolando. E é exatamente aí que está o problema. Por essas ‘reboladas’, ele era xingado de viado e sempre teve seu talento questionado.

Em entrevista ao UOL, ele falou sobre o episódio.

“Não teve nenhum dia que eu tenha saído na rua que não fui xingado por fazer a marcha atlética. Dizem: vira homem, para de rebolar, viado, fora, vai pra casa, vai trabalhar, vagabundo… Todo dia! Estou há nove anos na marcha e não teve um dia que não tenham xingado”.

“Hoje, em Sobradinho (DF), eu recebo muito mais incentivo, mas ainda ouço xingamentos. Eu não devo nada a Brasília, ao Brasil, nada, porque eu não tive apoio. Mas quando eu chego em casa minha família me dá apoio e eu continuo pela minha família.”

DEIXE SEU COMENTÁRIO