Hande Kader, conhecida pelo seu ativismo em prol dos direitos da comunidade LGBT na Turquia, foi encontrada morta em Zekeruyahoy, Istambul. O corpo, além de queimado, estava mutilado e mostrava que a jovem tinha sido violentada.

A morte da transexual de 22 anos gerou polêmica no país, com a população pedindo mais direitos para a comunidade LGBT. Segundo a imprensa, sabe-se que Hande estava trabalhando como prostituta e foi vista pela última vez entrando no carro de um cliente.

Como protesto, ativistas dos direitos LGBT têm usado nas redes sociais a hashtag ‘#HandeKadereSesVer’, que significa: “Façam algum barulho pela Hande Kader”. Kader já era conhecida na Turquia por ter enfrentado a polícia o ano passado, durante uma marcha gay em Istambul.

“Estamos sendo assassinados e ninguém ouve as nossas vozes, porque as leis na Turquia não nos protegem”, explicou Emirhan Deniz Çelebi, diretor da Spod – organização LGBT. Para este domingo está marcada uma marcha contra entre estes crimes de ódio na comunidade LGBT.

DEIXE SEU COMENTÁRIO