Uma pesquisa feita pela empresa de recrutamento e seleção Elancers levantou que Quase 20% das empresas que atuam no Brasil se recusam a contratar homossexuais. Foram entrevistados 10 mil empregadores, que afirmaram que preferem rejeitar um candidato gay por temer que sua imagem seja associada a ele.

Dentro desse número, 7% das empresas não contratariam um gay “de modo algum”, enquanto 11% só considerariam a contratação se o candidato jamais pudesse chegar a um cargo de visibilidade, como o de executivo.

Veja a justificativa de uma das empregadoras:

As empresas rejeitam homossexuais para posições de nível hierárquico superior, como diretores, vice-presidentes ou presidentes porque esses cargos representam a organização em eventos públicos e a associação de imagem poderia ser negativa para a companhia. Quando falamos de escolas, as restrições a homossexuais são maiores por várias razões, mas principalmente pelo receio em relação aos pais dos alunos.

Diretor da Elancers, Alexandre Nunes avalia que os contratantes brasileiros são “bastante conservadores”. “Preferem sempre os candidatos dentro do padrão ‘politicamente correto’, seja na forma de se vestir, de falar e até a opção sexual.”

Segundo Cezar Tegon, presidente da companhia, a pesquisa revela que o homossexual declarado só e bem-aceito nas áreas de moda ou design de interiores. “No entanto, parece evidente que as mulheres homossexuais declaradas sofrem discriminação também nesse meio.”

DEIXE SEU COMENTÁRIO