Uma denominação protestante britânica com cerca de 60 mil seguidores decidiu neste sábado (9) permitir a celebração de casamentos gays em suas igrejas.

Integrantes da United Reform Church (URC), que surgiu da união de duas outras congregações em 1972 e tem raízes no Presbiterianismo, tomaram a decisão em uma assembleia-geral realizada em Southport, nos arredores de Liverpool (noroeste da Inglaterra).

Com isso, a URC se torna a maior denominação cristã do país a realizar uniões gays em seus prédios. Suas igrejas poderão, porém, tomar individualmente a decisão de celebrar ou não as cerimônias – ou seja, elas não serão obrigadas a seguir a determinação.

A votação permitiu às sedes regionais registrarem imediatamente seus templos como locais que realizam casamentos entre pessoas do mesmo sexo, caso assim desejem.

Representantes da URC afirmaram acreditar que as primeiras cerimônias deverão ser realizadas no próximo outono do Hemisfério Norte (primavera no Brasil).

‘Tema sensível’
O reverendo John Proctor, secretário-geral da United Reformed Church, lembrou que o assunto é controverso dentro da igreja.

“A URC tomou uma decisão importante hoje – com a qual alguns ficarão muito felizes, e outros, desconfortáveis.”

As igrejas que fazem parte da denominação e não quiserem realizar as cerimônias não devem ser forçadas a isso, acrescentou Proctor.

“É um tema sensível para muitos em nossas igrejas. E tem sido importante, no processo de decisão, respeitar o nosso tempo e ouvir os outros o mais cuidadosamente possível durante o caminho.”

Lee Battle (à esq.) quer se casar com Anne Swift em um templo da URC (Foto: BBC)Lee Battle (à esq.) quer se casar com Anne Swift em um templo da URC (Foto: BBC)

Lee Battle, de Manchester, e sua companheira, Anne Swift, esperam ser um dos primeiros casais a se unir em uma cerimônia da URC.

Antes da assembleia, Battle tentava controlar sua animação – ela é treinada desde setembro para se tornar uma das ministras religiosas da denominação.

“Só de poder pensar que Deus poderia estar envolvido na cerimônia é algo incrível”, contou.

Para ela, não teria “a menor lógica” que seu casamento fosse realizado fora de uma igreja.

Decisão a caminho
Outras denominações menores, como os Quakers e os Unitarians, já realizam uniões entre pessoas do mesmo sexo no país.

O sínodo da Igreja Episcopal Escocesa, cuja origem remonta ao século 17, irá votar nos próximos meses se permitirá o mesmo em seus templos – em uma consulta inicial, uma larga maioria aprovou a medida.

A denominação tem cerca de 90 mil fiéis.

O reverendo Kelvin Holdworth, responsável pela Catedral de St Mary, em Glasgow, afirmou esperar que gays integrantes de sua congregação se unam ali.

“Obviamente há um sentimento de entusiasmo sobre este poder ser o momento em que isso vai acontecer”, disse.

Reverendo Kelvin Holdworth espera realizar uniões gays em Glasgow (Foto: BBC)Reverendo Kelvin Holdworth espera realizar uniões gays em Glasgow (Foto: BBC)
Com informações da BBC

DEIXE SEU COMENTÁRIO