Tem um funkeiro chamando a atenção por uma causa pouco defendida por cantores desse ritmo. MC Queer é um ativista que apresenta um projeto musical de cunho filantrópico, com o objetivo de espalhar uma mensagem de respeito, empoderamento LGBT e aceitação, usando o funk como veículo.

Ficamos conhecendo ele após o lançamento do clipe ‘Fiscal’. Com direção de Fernanda Weinfeld, o clipe traz poesia a uma letra densa, desconstruindo a lâmpada enquanto arma na agressão homofóbica de um garoto na avenida Paulista em 2010 e a formando, com representantes de todas as letras da sigla “LGBT”, um exército queer contra a homotransfobia.

Depois de cantar usando a mesma máscara de MC Queer, quebrar lâmpadas e brincar com glitter, os personagens – inclusive o até então misterioso ativista – acabam revelando o rosto e mostrando que não têm medo e nem vergonha de ser quem são.

Sobre “Fiscal”
“Fiscal” traz a essência do funk “proibidão” do início dos anos 2000 com referências de batida do pop atual. Com produção musical de Maestro Billy, o single é a primeira faixa do álbum de estreia de MC Queer, a ser lançado ainda neste semestre. A renda do single destinada ao cantor será totalmente revertida para projetos sociais ligados à causa LGBT. O sample #FervoTambémÉLuta presente na música é uma referência ao coletivo “Revolta da Lâmpada”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO