Na capital paulista, vítimas de homofobia vão receber atendimento jurídico e psicológico, sem pagar nada por isso. A prefeitura de São Paulo inaugurou um centro de atendimento exclusivo para a população LGBT.

O Centro de Cidadania LGBT de São Paulo será o maior serviço de atendimento a gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e travestis do país. Substitui o antigo centro de combate à homofobia e vai funcionar 12 horas por dia.82a78405-e1f6-4402-b759-03286571a2ba

Em discurso na cerimônia de inauguração, o secretário-adjunto de Direitos Humanos, Rogério Sottili, cobrou uma mudança de visão na sociedade: “Nós não precisamos apenas olhar para as populações vulneráveis, dentre elas a população LGBT, como um problema apenas de segurança pública (…). Nós precisamos olhar para essa população como a população que merece respeito, merece ser valorizada pela sua diversidade e merece todo o cuidado do poder público para valorizar o seu direito à cidadania.”

O investimento no centro de cidadania LGBT é de R$ 1 milhão, sendo R$ 800 mil da prefeitura de São Paulo e R$ 200 mil da secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

O espaço contará com uma equipe técnica formada por 20 profissionais, entre psicólogos, assistentes sociais, advogados e agentes de direitos humanos.

O centro fica na rua do Arouche, no centro de São Paulo, tradicional ponto de encontro da comunidade LGBT. O espaço vai oferecer assessoria jurídica, social e psicológica.

DEIXE SEU COMENTÁRIO