Screen-Shot-2015-10-03-at-13.15.10O monsenhor polonês Krzysztof Charamsa, que se revelou gay no mês passado e foi exonerado pelo Vaticano, disse que existe “um tipo especial de homofobia” entre os padres, e que aqueles que são homossexuais são forçados a se odiar.

O religioso disse ainda esperar que os padres venham a público “para destruir o código de silêncio da igreja”. “Muitos padres, muitos bispos, muitas pessoas no clero católico são gays, são homossexuais”, diz. “Com sensibilidade homossexual. Mas eles precisam odiar a si mesmos”.

Charamsa dava aulas de Teologia em duas universidades pontifícias de Roma e tinha um cargo no escritório de doutrina do Vaticano, mas foi demitido assim que se revelou gay e apresentou o companheiro para a imprensa na véspera do mais recente Sínodo dos bispos, em outubro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO