Conchita Wurst, the bearded transgender winner of the Eurovision Song Contest, performs during a concert at the European Parliament in Brussels October 8, 2014. The concert organised by members of Parliament aimed to support the adoption in February of the report against homophobia and sexual discriminations. REUTERS/Yves Herman (BELGIUM - Tags: POLITICS ENTERTAINMENT) - RTR49DJA

A edição de novembro da Revista Galileu traz um assunto semelhante ao da Mais JR, os transexuais. Por isso, eles resolveram fazer uma lista para as pessoas saberem como lidar com o transgênero, afinal, esse grupo tem que matar um leão por dia e tem que estar com o psicológico muito forte.

Sabemos que cada caso é um caso, mas todo o apoio à comunidade é importante.

Confira:

Não abandone. Pode ser difícil de entender o que é transgênero no início, mas acredite: a transição para a pessoa trans* é muito mais. Respeite-a incondicionalmente

2 Se você não entende as necessidades dela, busque informações a respeito e, se possível, procure profissionais aliados à causa

Pergunte como a pessoa prefere ser chamada — ou seja, seu nome social — e quais pronomes usar (por exemplo “seu” ou “sua”, “ele” ou “ela”). E passe a se referir a ela assim

Não faça suposições sobre a orientação sexual da pessoa trans*. Gênero diz respeito a identidade; orientação sexual trata-se de por quem a pessoa se sente atraída

Jamais pergunte se ela fez cirurgia de mudança de sexo. É indelicado. Se a pessoa se sentir confortável, falará a respeito. Entenda que terapia de hormônios e cirurgia não são algo necessário para a transição de todos

Apoie iniciativas de inclusão, como banheiro neutro, escolha de nome em documentos oficiais, escolha de tipo de uniforme etc. E passe as informações que aprendeu adiante, quando o assunto for transexualidade.

DEIXE SEU COMENTÁRIO