No começo do ano, Mykki Blanco revelou ser portador do vírus HIV em uma postagem no Facebook, contando que convive com a condição desde 2011 – ou seja, durante toda a sua carreira. Recentemente o rapper discutiu com a revista Plus como é ser o único rapper vivo que reconheceu ter o vírus e como contraí-lo mudou sua perspectiva criativa.Mik

“Todo mundo sempre soube que eu era gay”, ele diz, explicando sua posição de transparência total com seus fãs. “Meu pai me disse que ele sabia que eu era gay aos três anos de idade. O quão enganados meus fãs se sentiriam se daqui 20 anos eles descobrissem que sou soropositivo? Mas estava com muito medo do estigma de admitir. Que tipo de fraude eu seria com todas as pessoas que me apoiaram? Que são trans e soropositivas? Que são gays e soropositivas? Com todos que me apoiaram e compraram minhas músicas e foram aos meus shows? Eu não seria honesto comigo mesmo, não poderia me amar o suficiente para que esse amor fosse uma inspiração para eles. Sinceramente, eu acho que tenho muita integridade para isso”.

Blanco diz que a decisão de se assumir portador do vírus HIV foi uma questão de amor e vontade de provar que o vírus não o define.

“Eu fiz por amor. Eu fiz por mim mesmo”, ele diz. “Em um certo momento, minha vida tem que ser mais importante do que minha carreira. E em um certo ponto, minha própria felicidade e minha própria solidão tomaram conta de mim…. Ser HIV-positivo não significa que você não pode se sentir sexy, livre ou liberal. Não silencia você de falar sobre sexo ou sobre fazer sexo. Se proteja. Seja consciente. Esteja atento. Mas não deixe que a sociedade faça você se sentir como se não pudesse ser sexy, ou te faça ter vergonha de ser sexual. Se proteja, seja livre”.

Com informações da Bilboard Brasil

DEIXE SEU COMENTÁRIO